Você está aqui: Home » Blogs » Pense Comigo: Câncer, morte e vida (3)

Pense Comigo: Câncer, morte e vida (3)

Pense ComigoHoje quero renovar todos os meus votos, ter a convicção de que tudo foi como deveria ser e agarrar a minha oportunidade de superar mais este obstáculo como algo que deve ser transformado em momento de criação e crescimento.

Vejo pessoas que, publicamente, vêm falar sobre suas tragédias, algumas chegam a dizer que falam sobre o “seu câncer”. Não, nada disso! Eu nunca fui dono ou dominado por uma doença, ela não me pertence, apenas aconteceu em minha vida e já ficou para trás, deixando suas sequelas, dificuldades físicas que foram consequências da radioterapia em cima da boca e afetando paladar, deglutição e saliva, mas ficou no passado e não me pertence, a doença foi um episódio e a ela eu já superei.

Fiquei frente a frente com a possibilidade de morrer, tive o temor de sofrimento maior, passei por algumas dificuldades, mas nada disso importa, pois também recebi bênçãos e demonstrações de amor que são, sim, minhas e eternas, pois essas me pertencem eu sempre vou carregá-las comigo.

A vida é que importa e ela transcende a tudo, mesmo os que já partiram aqui se fazem presentes, pois suas lembranças estão junto a nós, não como negras marcas de sofrimento, mas como mensagens benfazejas de seus melhores momentos.

Tenho minha fé religiosa, creio em Deus e na vida após a vida, mas mesmo aos que carregam outra fé ou até mesmo aos que não carregam nenhum tipo de crença, é que quero dizer que a maior de todas as práticas de fé é crer na vida, tal qual ela ocorre em todos os seus momentos, sem temor ou qualquer outro tipo de sentimento negativo.

A existência é grandiosa quando entendida dentro de nossos corações como sendo uma manifestação completa de nossos sentimentos e que estes é que devemos dividir com todos os que estão junto a nós.

Foto: ondadura.com

Comentários (2)

  • rosael do nascimento silva

    Eu me solidarizo com as pessoas que lutam contra os obstáculos que as vezes a vida proporciona, como um câncer, seja ele de qualquer tipo, traz para as pessoas uma espécie de fim do mundo, como se o chão se abrisse abaixo dos pés, e ficam sem rumo; eu fico feliz em saber que um ou outro conseguiu superar esse obstáculo, porque a parte psicológica da doença, é talvez a mais cruel, a que dói mais no coração, a primeira coisa que se pensa é na família, como ficarão nossos entes queridos sem nossa presença, mas conseguimos depois de algum tempo vencer essa luta, e as vezes essas montanhas que surgem de repente em nossa frente, são aos poucos superadas, embora deixem algumas sequelas, alguns pedaços de nós; mas servirão para nos deixarem mais fortes, para vermos algumas coisas que com o passar dos dias em nossas vidas sem querer, vamos deixando para trás, e ganhamos uma nova vida,e começamos de novo, mas com a diferença de que agora temos outros olhos para ver, temos um novo sentido para lutar, não só por nós mesmos, mas para muitas pessoas que de uma forma ou de outra somos alguém em suas vidas. Um abraço de um amigo que te admira muito.

    Responder
    • Eduardo Dias Lopes

      As palavras do amigo Nascimento são sempre muito apropriadas, pois é uma das pessoas que sabe o valor que tem no estímulo e no apoio que deve ser dado nessas horas.

      Responder

Deixe um comentário

Jornal Correio Rural de Viamão | Rua Marechal Deodoro, 274, Centro, Viamão/RS | Fones: (51) 99430-5151, 98529-8759