Você está aqui: Home » Blogs » O QUE PASSOU, PASSOU!…

O QUE PASSOU, PASSOU!…

(LEIA NO BLOG DETALHES – MILTON SANTOS, JORNALISTA)>>>>

O QUE PASSOU, PASSOU!…

Era uma vez uma moça que estava à espera de seu voo, na sala de embarque de um grande aeroporto.

Como ela deveria esperar por muitas horas pelo seu voo, resolveu comprar um livro para matar o tempo.

Comprou, também, um pacote de biscoitos. Sentou-se numa poltrona, na sala VIP do aeroporto, para

que pudesse descansar e ler em paz.

Ao seu lado sentou-se um homem. Ele também abriu um livro para ler. Quando ela pegou o primeiro

biscoito, o homem também pegou um. Ela se sentiu indignada, mas não disse nada. Apenas pensou:

“Mas que cara de pau! Se eu estivesse mais disposta, lhe daria um soco no olho para que ele nunca

mais esquecesse!”

A cada biscoito que ela pegava, o homem também pegava um. Aquilo a deixava tão indignada que não

conseguia nem reagir. Quando restava apenas um biscoito, ela pensou: “o que será que este abusado

vai fazer agora?” Então o homem dividiu o último biscoito ao meio, deixando a outra metade para ela.

Ah! Aquilo era demais! Ela estava bufando de raiva! Então, ela pegou o seu livro e as suas coisas e

se dirigiu ao local de embarque. Quando ela se sentou, confortavelmente, numa poltrona já no interior

do avião, olhou dentro da bolsa para pegar uma bala e, para sua surpresa, o pacote de biscoitos

estava lá, ainda intacto, fechadinho.

Ela sentiu tanta vergonha! Só então ela percebeu que a errada era ela, sempre tão distraída! Ela havia

se esquecido que seus biscoitos estavam guardados, dentro da sua bolsa. O homem havia dividido os

biscoitos dele sem se sentir indignado, nervoso ou revoltado, enquanto ela tinha ficado muito

transtornada, pensando estar dividindo os dela com ele. E já não havia mais tempo para se explicar,

nem para pedir desculpas…

Quantas vezes, em nossa vida, nós é que estamos comendo os biscoitos dos outros, e não temos

a consciência disto?

Há quem proceda de forma muito diferente da que nós gostaríamos. Isso tira a nossa calma e nos

dá a impressão de que ninguém faz nada certo. Raciocine claramente. Antes de concluir, observe

melhor! Talvez as coisas não sejam exatamente como você pensa! Não pense o que não sabe sobre

as pessoas. O que passou, passou, converse mais! Seja mais leve, não se preocupe… Amor se

multiplica quando se divide.

Por fim, lembre-se: há quatro coisas que não se recuperam:

A pedra…depois de atirada.

A palavra…depois de proferida.

A ocasião…depois de perdida.

O tempo…depois de passado.

ESTACIONAMENTO

Chamo a atenção do setor de fiscalização de trânsito da SMTT. Estacionamento irregular, duplo,

na rua Jorge Calil Flores, ao lado do Bradesco. Impossível. Tranca o trânsito. Guincho tem que entrar

em ação. Rua movimentada e de amplo movimento habitacional.

FILOSOFANDO

“A vantagem de ter péssima memória é divertir-se muitas vezes com as coisas boas como se fosse

a primeira vez”. (Friedrich Wilhelm Nietzsche, filósofo)

“Ponhamos a mão na consciência e reconheçamos a verdade. Não podemos atirar a primeira pedra,

Porque o pecado começa conosco”” (João Ubaldo Ribeiro, escritor)

“Cada sentimento tem sua linguagem, e servir-se de outra é disfarçar o pensamento que se exprime”.

(Pierre Choderlos de Laclos, escritor)

NÚMEROS

Na edição de terça-feira, aqui na coluna, fiz uma divagação sobre números. Pois um leitor, atento e

astuto, mandou-me uma mensagem dizendo que estava fazendo um desafio numerológico. Disse ele

que o aparelho, que tem um mostrador de horário e temperatura, instalado no Calçadão Tapir Rocha

há algum tempo, está com os números endoidecidos. Conta o leitor que às 15 horas de segunda-feira,

com um sol de rachar, abafamento, o referido  aparelho mostrava temperatura de 22 graus enquanto

a meteorologia anunciava quase 40. Com relação a horário, naquele mesmo instante o relógio digital

marcava 11h22min em plena metade da tarde.

É o jogo dos inúmeros, ou um pequeno descuido…

PARA RIR

O Joãozinho apanhou da vizinha e sua mãe foi tirar satisfação:

- Por que a senhora bateu no meu filho?

- Porque ele me chamou de gorda!

- E a senhora acha que vai emagrecer batendo nele?

.A MULHER NA AGROPECUÁRIA

Apesar de estar incluído no conglomerado de municípios que forma a Região Metropolitana,

a Grande Porto Alegre, e mesmo tendo ares satisfatórios de progresso e desenvolvimento, que

o coloca numa condição de futura metrópole, Viamão não deixa de ser lembrado como um grande

celeiro de produções agrícola, pecuária e hortigranjeiros. Não é por acaso, que em todas as

pesquisas que são feitas para apurar números da produção agropecuária e de granja, em todos

os mapas o nosso município aparece com percentuais variáveis.

Mas o assunto deste Editorial não fala diretamente sobre produção e seus números em si.

Queremos abordar, neste início de mês de março, a participação da mulher na produção de campo.

A cada ano, estatísticas comprovam o quanto tem crescido em números e importância a

participação da mulher do mercado de trabalho, principalmente na produção agropecuária. E Viamão,

podem crer, neste quesito, tem um destaque importante. Na nossa zona rural há uma enormidade

de mulheres à frente dos negócios.

De forma geral, de acordo com dados do último Censo do IBGE, o trabalho realizado pelas

mulheres no campo – seja como produtoras, agrônomas ou engenheiras – corresponde a 42,4%

da renda familiar, enquanto que, nas cidades, esse número é de 40,7%. Em análise da Abag

88% delas se consideram independentes financeiramente; 57% participam ativamente de

sindicatos e associações rurais; 60% possuem curso superior; e 55% acessam a internet diariamente.

Isso serve para dizer que o mercado de trabalho evoluiu e, nos últimos anos, homens e mulheres

se dividem nas mesmas tarefas, numa evidência de que todos estão aptos a realizar as mesmas

funções, basta serem oferecidas as ferramentas adequadas.

É o mundo evoluindo…

.

Deixe um comentário

Jornal Correio Rural de Viamão | Rua Marechal Deodoro, 274, Centro, Viamão/RS | Fones: (51) 99430-5151, 98529-8759