Você está aqui: Home » Blogs » Blog dos Esportes » Zago e o “bruxismo” que atrasa o progresso do Inter

Zago e o “bruxismo” que atrasa o progresso do Inter

(LEIA NO BLOG DOS ESPORTES)>>>>  SAUL TEIXEIRA-JORNALISTA>>>>

Coleção de erros
Com a lesão de Edenílson contra o Caxias no último final de semana, o Inter desencaixou completamente. Zago foi infeliz em todas as escolhas para suprir a ausência do camisa 8, incluindo as substituições realizadas. E o pior: reincidiu no equívoco. Recuar D’Alessandro sob o pretenso argumento de qualificar a saída de jogo não deu frutos e ainda desgastou o capitão desnecessariamente, o que também pode ter contribuindo, contribuiu com a lesão do argentino que desfalcará  o time contra o Corinthians na Copa do Brasil. E o pior: recuou D’Ale para promover o ingresso de Roberson. Dois erros grosseiros em uma tacada só.
Quem avisa…
Esse espaço alertou inúmeras vezes que recuar D’Alessandro e exigir tarefas pesadas de recomposição acabariam levando o capitão ao departamento médico. Além disso, afastá-lo da região ‘letal do campo’ o torna quase comum. Zago não viu os outros jogos?  Em tempo: a saída de Nico nas últimas partidas e a permanência de Brenner revela outra ‘miopia’ do comandante na atualidade.
Resumo da ópera
 Zago faz um trabalho promissor, mas precisa ‘escantear’ de vez as alternativas que já não deram certo, ou que servem apenas emergencialmente – como nos 15 minutos de sucesso no Gre-Nal, por exemplo. A tese nunca suplanta o fato, pelo contrário. O campo fala! O que diferencia os treinadores de sucesso é a capacidade de ver, enxergar, interpretar e corrigir a partir da amostragem do gramado. Roberson não pode ser a primeira alternativa para todos os desfalques dos titulares. Não pode por questões técnicas e táticas. Não pode porque existem outras opções superiores a ele no elenco. Bruxismo tem limites.
Farrapos

Na partida de volta contra o Corinthians, os colorados terão que administrar uma série de desfalques. Sem Carlinhos, lesionado, eu recuaria Uendel para a lateral e promoveria o ingresso de Gutiérrez no meio. Sem Edenílson, eu jogaria com Charles – caso Uendel fosse mantido no meio, o chileno canhoto jogaria ‘torto’ na direita. Seijás é o que mais se aproxima de um ‘meia armador’ no elenco, mas está lesionado. Desta feita, Valdívia surge como “nome ideal” para substituir D’Ale, ao menos para esse pitaqueiro que vos escreve. No ataque: Nico e Brenner.

Time

Em tom pitaqueiro, eis a escalação, mantendo a formatação em losango (4-3-1-2) com suas variações: Marcelo Lomba; William, Ortiz, Cuesta e Uendel; Dourado, Edenílson (Charles), Gutiérrez e Valdívia; Nico e Brenner.

Boa sorte aos vermelhos!
Foto: Internacional oficial/ Ricardo Duarte

 

 

 

Deixe um comentário

Jornal Correio Rural de Viamão | Rua Marechal Deodoro, 137, sala 206 - Centro, Viamão/RS | Fones: (51) 3485-1313.